Terça, 24 de Novembro de 2020 12:51
71 99402-8189
Anúncio
Brasil Política

Palácio do Planalto monitora redes sociais de seis parlamentares baianos

Os documentos foram classificados como sigilosos e dão conta de que o monitoramento aconteceu diariamente entre os meses de fevereiro, março e abril deste ano.

22/11/2020 16h46
7
Por: Redação Fonte: BNotícias
Partido dos Trabalhadores
Partido dos Trabalhadores

O Palácio do Planalto monitorou com dinheiro público as redes sociais de parlamentares e de jornalistas. Isso é o que afirmou a coluna de Guilherme Amado, na revista Época, que teve acesso aos relatórios, que têm como objetivo municiar o governo federal sobre o comportamento digital dos políticos e profissionais de imprensa. 

Os documentos foram classificados como sigilosos e dão conta de que o monitoramento aconteceu diariamente entre os meses de fevereiro, março e abril deste ano. O sigilo foi dado sob a alegação de que os relatórios se tratam de um "trabalho autoral" da empresa contratada pela Secretaria de Governo (Segov) e pela Secretaria de Comunicação (Secom).

Intitulado como "Parlamentares em foco", o relatório foi dividido em três eixos. Em “Debates dos usuários” são monitoradas tendências das redes. No eixo “Publicação dos parlamentares”, foi feita uma análise das postagens dos quatro deputados e senadores que mais publicaram no dia.

No eixo “Aderência ao governo”, a análise da Secom avaliou o teor das postagens de parlamentares de oposição, de centro e da situação. As publicações foram classificadas como positivas, neutras ou negativas. 

Já os jornalistas foram alvos de um monitoramento específico. De acordo com a publicação da Época, o governo federal se recusou a dar informações sobre o intuito do relatório. 

Seis parlamentares baianos constam no relatório: Afonso Florence (PT), Bacelar (Podemos), Daniel Almeida (PCdoB), Dayane Pimentel (PSL), Eduardo Costa (PTB) e Jorge Solla (PT).

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias